Programa SADA – Missão 8

14/05/2011

A Missão nº 8 do Programa SADA decorreu de 21 de Abril a 6 de Maio de 2011 e foi, uma vez mais, concretizada pelo Coordenador do Programa, Nuno de Santos Loureiro, PhD, docente e investigador da Universidade do Algarve.

A estadia na Ilha do Príncipe decorreu entre 22 de Abril e 4 de Maio. Foram executadas as seguintes atividades:

I. TARTARUGAS MARINHAS

I.1. Foram amostrados os seguintes números de animais:
SADA (Eretmochelys imbricata)
– 13 exemplares (2 machos adultos, 1 fêmea adulta, 10 juvenis)
MÃO-BRANCA (Chelonia mydas)
– 7 exemplares (3 aparentemente saudáveis e 4 afetados por fibropapilomatose)

Nas amostragens estiveram envolvidos os seguintes mergulhadores:
Dionísio Calipe, Helder Vaz Pereira (Dedé), Inocêncio dos Prazeres (Nuno Couto), José Manuel Rocha Lopes (Nelo), Manuel da Graça (Lindo) e Pedro de Oliveira Sousa (Duko)

Procedimentos gerais:
– os mergulhadores agarraram os exemplares no mar, à mão, e trouxeram-nos para as praias mais próximas
– eu desloquei-me a essas praias para todos os procedimentos de amostragem e os animais foram seguidamente libertados no mar, nessas mesmas praias; nenhuma tartaruga marinha esteve mais de 4 horas fora de água

Transporte das amostras para Portugal:
– as amostras ficaram armazenadas no Príncipe, ao cuidado do Sr Daniel Ramos, Diretor do Parque Natural Obô do Príncipe, em virtude da impossibilidade de obtenção da autorização legal emitida pelo Governo Regional do Príncipe (licença CITES ou documento substituto) indispensável para as transportar para Portugal

I.2. Centro de Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da ‘PRAIA GRANDE’

– foi verificado o avançado estado das obras de recuperação
– consideraram-se ainda necessárias as seguintes intervenções:

  • nova demão de pintura em toda a construção
  • pintura do teto em lusalite, em cor verde escura
  • finalização do anexo, com pequenos trabalhos de carpintaria e pintura
  • pintura do nome na frente da casa

– consideram-se também convenientes as seguintes intervenções

  • sinalização de trânsito, a partir da cidade e do aeroporto
  • colocação de placa de divulgação no exterior do aeroporto
  • reedição do flyer ‘TURTLE WATCHING NA PRAIA GRANDE, ILHA DO PRÍNCIPE’

– foi solicitada autorização ao Governo Regional para a execução destas novas intervenções

I.3. Nova equipa de Vigilantes

No quadro da colaboração com a HBD foram selecionados seis novos vigilantes para as praias Uva, Grande, Boi e Macaco; na totalidade, ficam assim oito guardas nssas quatro praias, uma vez que o Hualton Carvalho e o Domingos Quaresma continuam em funções.

I.4. Mergulhadores Vigilantes e Educadores Ambientais

No quadro da colaboração com a HBD foram selecionados três mergulhadores que regularmente colaboram com o Programa SADA: Inocêncio dos Prazeres (Nuno Couto), Manuel da Graça (Lindo) e Pedro de Oliveira Sousa (Duko), para desempenharem funções de vigilância e sensibilização ambiental, tendo em vista reduzir a mortalidade das tartarugas marinhas, que se concluiu estarem a ser capturadas em números preocupantes, por mergulhadores submarinos e pescadores locais.

Foi solicitado ao Governo Regional um empenhamento acrescido nas operações de vigilância e fiscalização.

I.5. Compilação dos dados relativos a FÊMEAS REPRODUTORAS E POSTURAS na PRAIA GRANDE – época de posturas 2010-2011

Foram introduzidos na base de dados do Programa SADA todos os dados recolhidos na Praia Grande, durante a época de posturas 2010-2011. Este procedimento implicou a digitalização de toda a informação, a partir dos cadernos de campo, a deteção de alguns erros, e a sua interpretação preliminar.

I.6. Preparação da brochura TARTARUGAS MARINHAS NA ILHA DO PRÍNCIPE

II. ODONATAS (localmente, aviões-de-água)

II.1. Prospeção Preliminar

Ceriagrion glabrum

Orthetrum africanum

Os Insetos da Ordem Odonata, em português designados de libélulas e libelinhas, e localmente chamados de aviões-de-água, são um grupo que tem sido pouco estudado na Ilha do Príncipe. No entanto, está referida uma espécie endémica na Ilha, classificada como Critically Endangered na IUCN Red List, a Trithemis nigra. A espécie foi descoberta e descrita em 1936, e desde então, por ausência de monitorização, não foi estudada em detalhe, nem acompanhada a evolução da sua população.

Palpopleura lucia

Orthetrum stemmale

Na sequência de contactos com o Doutor ‘KD’ Dijkstra, do Netherlands Centre for Biodiversity, especialista reconhecido em Odonata africanos, foi feita uma prospeção preliminar. Foi, para a mesma, solicitada a colaboração do Lucindo Pontes, principiano e profundo conhecedor das borboletas da Ilha do Príncipe.

Assim, foi feita uma recolha fotográfica detalhada de Odonatas em 20 pontos distintos de amostragem da Ilha do Príncipe, e as fotografias foram apresentadas ao especialista referido, para confirmação das identificações.

A procurada Trithemis nigra está entre as espécies fotografadas e, assim, foi possível confirmar que continua presente!

As outras espécies fotografadas foram:

  • Orthetrum africanum
  • Pantala flavescens



De 4 a 6 de Maio decorreu uma estadia muito breve pela Ilha de SÃO TOMÉ. Foram executadas as seguintes atividades:

  • Reunião com o Dr Victor Bonfim, Diretor para a Conservação da Natureza, Qualidade do Ambiente e Saneamento – Direção-Geral do Ambiente. O encontro permitiu uma troca de impressões sobre a futura legislação nacional de proteção de tartarugas marinhas na República Democrática de São Tomé e Príncipe, e também a apresentação de um ponto de situação sobre o Programa SADA.
  • Conversa informal com o responsável do Centro Turístico Comunitário de Pesca Artesanal VOADOR PANHÁ, em São João de Angolares, e também com João Carlos Silva, da Roça São João.
  • Visita ao futuro stand da Ilha do Príncipe e a toda a CACAU – Casa das Artes, Criação, Ambiente e Utopias, na cidade de São Tomé.
Anúncios

Ano Novo, casa nova!

01/01/2011

Nada melhor para começar o novo ano de 2011 do que mostrar duas fotos que ilustram as obras da casa na Praia Grande  – Centro de Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching ‘Zeferino Rodrigues’. A recuperação da casa, finalmente, aproxima-se da conclusão, e é fruto de meses de trabalho do Hualton e do Mingos, durante o dia carpinteiros e pintores, durante a noite vigilantes das tartarugas marinhas!

O estado das obras no dia 29 de Dezembro de 2010. Foto de Daniel Ramos.

A casa agora recuperada foi contruída pela ONG MARAPA com o apoio financeiro do FFEM – Fundo Francês para o Ambiente Mundial e foi-se degradando com o passar dos tempos. A recuperação da casa foi integrada no plano de atividades 2010 do Programa SADA e foi financiada pelo mesmo Programa, recorrendo aos apoios do Oceanário de Lisboa, Marine Turtle Conservation Fund (FWS-USA) e de doadores individuais como a Srª Drª Mª Leonor Sardinha. A obra contou também com a colaboração do Governo Regional do Príncipe. Na fase final das obras, para além do Hualton e do Mingos, muito contribuiu também o empenhamento do Daniel Ramos, Diretor do Parque Natural do Príncipe, e do Dr Rogério Ferreira.

O estado das obras no dia 29 de Dezembro de 2010. Foto de Daniel Ramos.

Com as obras concluídas, começa agora a ser possível dinamizar iniciativas de turtle watching, naquela que é a principal praia de posturas de tartarugas marinhas na Ilha do Príncipe. A tartaruga-verde Chelonia mydas é, sem dúvida, a espécie mais frequente, mas a SADA Eretmochelys imbricata e a tartaruga-de-couro Dermochelys coriacea também aparecem na Praia Grande para aí fazerem algumas posturas.


RDP África – Científica Mente na Ilha do Príncipe!

15/12/2010

O Programa Científica Mente, dirigido pela jornalista Ana Paula Gomes e emitido pela RDP África, voltou a fazer uma visita virtual à Ilha do Príncipe. A emissão foi para o ar no passado dia 27 de Novembro de 2010 e teve como título:

Príncipe – Estudos revelam novos dados sobre algumas espécies da ilha.

Conheça o site do Programa Científica Mente clicando AQUI.

Descarregue a emissão de 27 de Novembro de 2010 em formato .mp3 clicando AQUI.



As tartarugas marinhas estão de volta às praias do Príncipe!

06/10/2010

Hualton Carvalho, o coordenador dos trabalhos na Praia Grande

É verdade!
Foi com um atraso de um mês comparativamente com a época passada, mas na noite do passado dia 4 de Outubro a primeira fêmea reprodutora da época, uma Chelonia mydas (tartaruga verde ou mão branca) subiu na Praia Grande, pelas 20 horas, e depositou na areia o primeiro conjunto de ovos. Bem vinda!!!

Para acompanhar todo o episódio lá estava o Hualton Carvalho, o eficiente e experiente guarda do Programa SADA. Depois da postura e antes de regressar ao mar, a tartaruga marinha, que media 1.04 metros de comprimento (da carapaça), recebeu o flipper tag TTY460 e, igualmente, um PIT tag.

Nesta nova época de posturas, antes desta ocorrência, na Praia Grande apenas se tinha observado um rasto sem postura, na noite de 2 de Outubro. Mas os mergulhadores que regularmente colaboram com o Programa SADA confirmam que são já muitas as tartarugas marinhas que descansam na baía da Praia Grande, e em outras áreas pouco profundas e abrigadas da Ilha do Príncipe. Por isso, tudo faz crer que a época de posturas de tartarugas marinhas, na Ilha do Príncipe, começará em força já muito em breve!

Centro de Turtle Watching da Praia Grande, durante as obras, em Setembro...

Entretanto, as obras de reabilitação do Centro de Turtle Watching da Praia Grande estão a avançar a bom ritmo. O pequeno edifício de madeira foi totalmente desmontado e deslocado para um local mais abrigado, e está agora na fase final da sua reconstrução. Por isso, muito em breve, guardas, investigadores e visitantes passarão a ter um local adequado, na Praia Grande, para se resguardarem enquanto aguardam ou descansam das atividades de observação das tartarugas marinhas a depositar os seus ovos na areia, e dos ovos a eclodirem e os recém-nascidos a correrem para o mar!


Programa SADA apresenta-se no Encontro Internacional ‘TURISMO EM MEIO INSULAR AFRICANO’

13/05/2010

Uma apresentação do Programa SADA vai integrar o painel de comunicações orais do ENCONTRO INTERNACIONAL ‘TURISMO EM MEIO INSULAR AFRICANO: POTENCIALIDADES, CONSTRANGIMENTOS E IMPACTOS’ que se vai realizar em Lisboa, no próximo dia 18 de Junho de 2010.

A comunicação do Programa SADA intitular-se-á Turtle Watching na ilha do Príncipe. Realidades e Potencialidades. Em paralelo com uma apresentação geral, será dada bastante atenção à Praia Grande e ao Centro de Acolhimento de Turtle Watching que aí será inaugurado em Setembro próximo.


pré-manifestação de interesse

07/03/2010

O Programa SADA pretende acolher um aluno de mestrado ou doutoramento interessado em realizar um estudo multidisciplinar na Praia Grande, Ilha do Príncipe.

O tema central será a caracterização da utilização desse importante areal pelas tartarugas marinhas, para posturas, e da baia contígua, para repouso.

Os eventuais interessados poderão enviar desde já uma pré-manifestação de interesse, por email, para nlourei@ualg.pt, anexando curriculum vitae.


Época de posturas terminou na Praia Grande

03/03/2010

As tartarugas marinhas já deixaram de surgir, noite após noite, no areal da Praia Grande, à semelhança do que aconteceu nas outras praias da Ilha do Príncipe. Acabou, por isso, a época de posturas de 2009-2010, que se tinha iniciado em Setembro passado.

Na Praia Grande, onde foi possível assegurar um acompanhamento assíduo e muito criterioso, foram observadas 122 mão-brancas (Chelonia mydas) diferentes, bem como cinco sadas (Eretmochelys imbricata) e duas ambulâncias (Dermochelys coriacea). Na totalidade, foram depositadas na areia 315 posturas de mão-branca, seis de sada e uma de ambulância. Estes números permitem confirmar a Praia Grande como sendo a principal praia para as tartarugas marinhas na Ilha do Príncipe (e talvez mesmo de São Tomé e Príncipe).

Não se pense, no entanto, que as actividades terminaram. Durante os meses de Março e Abril continuará a ser feito o acompanhamento quotidiano das posturas e do nascimento dos filhotes.

Por outro lado, vai começar em breve a recuperação e requalificação do Centro de Acolhimento da Praia Grande, tendo em vista haver na próxima época de posturas um local adequado para receber os visitantes e para os vigilantes descansarem e se abrigarem as chuvas, sempre que necessário. A Drª Leonor Sardinha, que recentemente visitou a Praia Grande para conhecer a realidade local, ficou particularmente sensibilizada com a dedicação e profissionalismo tanto do Sr Zeferino como do Sr Hualton, e prontificou-se a financiar essas obras.