Freshwater Turtles in the Gulf of Guinea oceanic islands

28/06/2009

In a description of Annobon (or Ano Bom, or Pagalu) Island dated from the beginning of the XVI Century,  Valentim Fernandes (or Valenty Fernandez de Moravia) clearly wrote about a freshwater turtle species. He explained that they are abundant, but slaughtered by the inhabitants of the recent settlements. Not less interesting is the reference to a Portuguese Rule that establishes limits to the capture of that freshwater turtle, to avoid their extinction!

Tartarugas há nesta ilha muitas que se criam em terra e não no mar, e os machos são tão grandes como uma albarda e as fêmeas são mais pequenas. E as fêmeas põem os seus ovos como galinhas, hoje um amanhã outro, e onde põem o ovo ali o deixam ficar, e ali se cria uma tartaruga daquele ovo assim no chão sem outra cerimónia. E não põem como as do mar. E como elas são grande mantimento para os moradores da ilha, e eles mataram muitas sem as aproveitarem, fizeram agora um regimento para que nenhum morador não mate mais do que uma por dia.
Th. MONOD, A. T. MOTA & R. MAUNY. 1951. Description de la Côte Occidentale d’Afrique (Sénégal au Cap de Monte, Archipels) par Valentim Fernandes (1506-1510). Bissau, Memórias do Centro de Estudos da Guiné Portuguesa nº 11, pp. 142 e 144.

Barboza du Bocage, a Portuguese naturalist from the XIX Century, wrote about a freshwater turtle species found in the south of the São Tomé Island: the Sternothaerus Derbianus, Gray 1863. He explained that they live in the rivers of the mountains of the island, but are very rare. Bocage cited the field campaigns of the German naturalist Richard Greef, during the years of 1879 and 1880, in São Tomé and also in the Rolas Islet.

Diz o dr. Greef que esta especie vive nos rios da Cordilheira de S. Thomé. Não a encontrou nunca nas suas excursões, mas obteve quatro exemplares que refere à especie citada. Ainda a não recebi de S. Thomé, o que nos faz crer que seja rara como o dr. Greef afirma.
J. V. B. BOCAGE. 1886. Repteis e Amphibios de S. Thomé. Jornal de Sciencias Mathematicas, Physicas e Naturaes XI(XLII):65-70.

Anúncios

Programa SADA apresenta-se na FATACIL 2009

19/06/2009

Logo_Lagoa_redA colaboração da Câmara Municipal de Lagoa com a Universidade do Algarve, no âmbito da Iniciativa para a Conservação de Tartarugas Marinhas na Ilha de Santiago – Cabo Verde, tem já tradição.

Em 2009, essa colaboração vai traduzir-se, entre outras vertentes, na disponibilização de um stand na zona nobre da FATACIL 2009, para a apresentação e divulgação das actividades da UAlg, em torno da conservação deste património natural em risco de extinção.

Esse espaço permitirá assim, entre 21 e 30 de Agosto próximo, mostrar no Algarve parte do trabalho que desde 2007 vem decorrendo nas localidades de Praia Baixo e Achada Baleia, concelho de São Domingos, ilha de Santiago, Cabo Verde. Permitirá, também, distribuir material informativo, vender t-shirts e outros produtos de merchandising, angariar donativos e, com todas essas receitas, reforçar cada vez mais as actividades em curso, que vão contribuindo efectivamente para travar a extinção das tartarugas marinhas.

O Programa SADA, da Ilha do Príncipe, mostrar-se-á publicamente no Algarve, nessa ocasião, pela primeira vez. A estratégia de angariação de algumas receitas decorrerá de igual forma. Espera-se, assim, que não só em Cabo Verde, mas também em São Tomé e Príncipe, a presença da UAlg possa ser reforçada e a extinção das tartarugas marinhas evitada!

Até porque A EXTINÇÃO, quando ocorre, É PARA SEMPRE


Programa SADA recebe donativo!

15/06/2009

O Programa SADA recebeu um primeiro donativo, de uma pessoa individual que pretende manter um discreto anonimato. A verba doada é revelante e permitirá assegurar a monitorização quotidiana da Praia Grande durante toda a próxima época de reprodução, que começará no início de Outubro próximo e se prolongará até ao final de Abril de 2010.


o valor da informação…

11/06/2009

No Mundo contemporâneo e global, o acesso fácil à informação é indispensável, incontornável e inadiável. Aquilo que não se conhece, ou que não se pode conhecer com facilidade, cada vez mais é sinónimo de não existir…

Convicto de tal, e da sua importância para o sucesso do objectivo fundamental do Programa SADA – salvar o stock genético de E. imbricata de São Tomé e Príncipe, em paralelo com uma estratégia de protecção directa procura-se imprimir uma dinâmica de divulgação do próprio stock genético, das praias de postura, do Programa SADA e, até, da Ilha do Príncipe…

… e um bom exemplo de tal é, sem dúvida, a integração de dados de base no SEA TURTLE NEST MONITORING SYSTEM, uma funcionalidade do http://www.seaturtle.org.


três fotografias antigas…

06/06/2009

2216a comercialização

2613a produção

2590a captura

fotografias não datadas
colecção do Arquivo Histórico Ultramarino,
Instituto de Investigação Científica Tropical


Centro para a Conservação da Biodiversidade da Ilha do Príncipe já está no papel

01/06/2009

CBioP2O Governo Regional do Príncipe, a Universidade do Algarve e o Centro de Ciências do Mar do Algarve assinaram muito recentemente um Protocolo de Coope- ração para estabelecer o Centro para a Conservação da Biodiversidade da Ilha do Príncipe – CBioP.

O CBioP tem objectivos ambiciosos que começarão, em breve, a tornar-se realidade. Interpretação da Biodiversidade da Ilha do Príncipe, Acolhimento de Visitantes, Ensino, Formação Profissional e Educação Ambiental, Investigação Científica e gestão sustentada dos Recursos Naturais e da Biodiversidade da Ilha são objectivos que estão na primeira ordem de prioridades do CBioP…

… e o Programa SADA, já em curso, torna-se assim a primeira iniciativa multi-facetada do CBioP.

Instalar fisicamente o CBioP na Ilha do Príncipe está, também, previsto. Para esse efeito há já um edifício disponibilizado pelo Governo Regional, que é agora necessário recuperar…

CENTRE POUR LA CONSERVATION DE LA BIODIVERSITÉ DE L’ÎLE DE PRÍNCIPE EST DÉJÀ COUCHÉ SUR PAPIER

Flag_France

Le Gouvernement Régional de Príncipe, l’Université de l’Algarve et le Centre de Sciences de la Mer de l’Algarve ont très récemment signé un Protocole de Coopération, à fin d’établir le Centre pour la Conservation de la Biodiversité de l’ Île de Príncipe – CBioP.

Le CBioP a des visées ambitieuses lesquelles deviendront bientôt une réalité. Interprétation de la biodiversité de l’Île de Príncipe et accueil des visiteurs, enseignement, formation professionnelle et éducation à l’environnement, recherche scientifique et gestion durable des ressources naturelles et de la biodiversité de l’Île sont les desseins premiers dans la liste de priorités du CBioP.

Le Programme SADA (tortue imbriquée, en langue locale), déjà en cours, devient ainsi la première action à facettes multiples du CBioP.

L’installation matérielle du CBioP sur place dans l’Île de Príncipe est  aussi prévue. À cet effet, y a déjà un bien mis à disposition par le Gouvernement Régional, pour lequel faudra maintenant entamer les travaux de récupération…