Programa SADA – missão 9

20/08/2011

A 9ª missão do Programa SADA decorreu de 5 a 18 de Agosto e foi, uma vez mais, levada a cabo pelo coordenador do Programa SADA, Nuno de Santos Loureiro, docente e investigador da Universidade do Algarve.

A missão teve cinco objetivos-chave:

  1. dar continuidade às atividades com os mergulhadores locais, por forma a assegurar a manutenção dos bons níveis de motivação indispensáveis para a continuada não captura e morte de tartarugas marinhas e, simultaneamente, para dar continuidade às campanhas regulares de amostragem em tartarugas SADA (Eretmochelys imbricata), necessárias ao aprofundamento dos estudos em curso sobre a estrutura genética dessa população criticamente ameaçada de extinção;
  2. coordenar e acompanhar a finalização das obras no Centro para o Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da Praia Grande – casa Zeferino Rodrigues e, em particular, a reestruturação do anexo, a repintura da casa, a pintura do anexo, a pintura e decoração dos telhados, e a limpeza geral do local;
  3. conceber in loco novos materiais para a sensibilização e divulgação do fundamental valor de biodiversidade local e global representado pelas tartarugas marinhas na Ilha do Príncipe
  4. preparar com os guardas locais a nova época de vigilância e monitorização das praias com posturas de tartarugas marinhas;
  5. fazer um trabalho de campo intensivo, por forma a preparar uma cartografia preliminar da ocorrência do avião-de-água da espécie Trithemis nigra (Odonata: Libellulidae), endémico da Ilha do Príncipe e classificado como criticamente ameaçado de extinção na IUCN Red List.

Objetivo UM

  • manteve-se um diálogo intenso e diário com mergulhadores da Ilha, e em particular com os três (Duko, Lindo e Nuno Couto) que têm um estatuto permanente de vigilantes, atribuído e remunerado no quadro de um protocolo entre a empresa HBD e o Governo Regional do Príncipe;
  • debateu-se com outros dois mergulhadores (Lino e Dedé) incidentes recentes de captura e morte de tartarugas marinhas, e procuraram-se novos equilíbrios e engajamentos para assegurar que não surjam mais incidentes similares; ambos se comprometeram a não mais capturarem e matarem tartarugas marinhas e a participarem, muito ativamente, na proteção da vida das tartarugas SADA e de todas as outras espécies;
  • levou-se a cabo a campanha de amostragem em tartarugas SADA; foram agarrados, manuseados e libertados 22 exemplares, sendo 20 jovens neríticos e 2 machos adultos; dos 20 jovens 15 foram amostrados pela primeira vez e 5 tinham-no sido já em campanhas anteriores; as recapturas permitem observar os índices de crescimento dos exemplares; os 2 machos adultos foram amostrados pela primeira vez; participaram na campanha de amostragem onze mergulhadores locais (Duko, Nuno Couto, Lindo, Nelo, João Paulo, Gabriel, Tone, Lino, Quebrado e Santinho) que, no total, receberam € 440.00 (€ 20.00 / tartaruga amostrada);
  • fez-se um esforço no sentido de levar igualmente a cabo uma campanha de amostragem em tartarugas mão-branca (Chelonia mydas) afetadas por fibropapilomatose (MTFP); no entanto, não foi agarrado nenhum exemplar;
  • em paralelo com os prémios de participação direta na campanha de amostragem, como vem sendo feito em todas as missões do Programa SADA foram oferecidos alguns equipamentos de pesca submarina; nesta campanha três mergulhadores (Duko, João Paulo e Santinho) receberam um par de barbatanas e cinco mergulhadores (Nuno Couto, Nelo, Lindo, Mingo e Cuco) receberam um par de elásticos para armas de pesca submarina; o montante total destes materiais corresponde a € 225.00. Consequentemente, o montante direto total envolvido no apoio aos mergulhadores foi, nesta campanha, de € 665.00 (16.292.500.00 STD).

Objetivo DOIS

  • ficaram praticamente finalizadas as obras de recuperação e melhoramento do Centro para o Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da Praia Grande – casa Zeferino Rodrigues; durante a missão executaram-se as seguintes atividades: reestruturação e pintura do anexo, repintura da casa, pintura e decoração dos telhados, e limpeza geral do local; assim, o anexo foi reduzido, por forma a ficar mais equilibrado e harmonioso com a casa, a casa foi totalmente repintada, os telhados foram pintados de verde e todo o espaço envolvente à casa foi limpo e arrumado; um artista local vai pintar a branco uma grande tartaruga marinha no telhado da casa, por forma a ser facilmente visivel de avião, e no telhado do anexo as palavras turtle watching; procurar-se-á, desta forma, divulgar e incentivar o ecoturismo na Praia Grande, tornando a casa facilmente identificável a partir do avião que transporta os visitantes para a Ilha do Príncipe. O montante direto total envolvido na recuperação e melhoramentos acima descritos foi, nesta campanha, de € 290.00 (7.105.000.00 STD).

Objetivo TRÊS

  • ficou estabelecida, e acordada com o Governo Regional do Príncipe, a produção de dois grandes painéis subordinados ao tema – PRÍNCIPE, ILHA AMIGA DAS TARTARUGAS MARINHAS – para colocação em espaço públicos de grande visibilidade; um ficará em frente ao Aeroporto e outro è entrada na Cidade de Santo António;
  • ficou também estabelecida a edição de um folheto (flyer) de promoção do turtle watching na Praia Grande – OBSERVAÇÃO DE TARTARUGAS MARINHAS NA PRAIA GRANDE – ILHA DO PRÍNCIPE – que terá uma versão em português e outra em inglês.

Objetivo QUATRO

  • com a criação, por parte da HBD (investidor no setor do turismo), de um corpo de oito vigilantes para as Praias Grande, da Uba, Boi e Macaco, a situação relacionada com a vigilância na Praia Grande, aquela onde o número de posturas de tartarugas marinhas é o maior em toda a Ilha do Príncipe, passou a ter um novo enquadramento;
  • o Hualton Carvalho e o Domingos Gil Quaresma, que prestaram serviços remunerados ao Programa SADA nas épocas de posturas de tartarugas marinhas anteriores, foram incluídos no referido corpo de vigilantes;
  • procurou-se, consequentemente, uma nova base de entendimento com os vigilantes Hualton Carvalho e DoMingos Quaresma, para que se mantivessem ou até melhorassem as rotinas de monitorização da Praia Grande, com vista à consolidação dos trabalhos científicos em curso;
  • infelizmente, até ao final da missão foi impossível alcançar a desejada plataforma de entendimento, em virtude de divergências de cariz remuneratório.

Objetivo CINCO

Com o auxílio valioso do lepidopterólogo local Lucindo Pontes, do Terreiro Velho, levaram-se a cabo oito manhãs de prospeção da ocorrência do avião-de-água Trithemis nigra, endémico da Ilha do Príncipe. Foram visitados 14 locais distribuídos pela metade Norte da Ilha, onde o acesso é mais fácil, e em 5 foi constatada a ocorrência da espécie. Os diversos locais foram georeferenciados e toda a informação transposta para um mapa, que se apresenta aqui. No mesmo mapa foi também considerada a observação feita na 8ª missão e, ainda, a observação histórica de W. H. T. Tams, em Janeiro de 1933, e que serviu de base para a descrição da espécie, feita em 1933 por C. Longfield. O montante direto envolvido nesta tarefa foi, nesta campanha, de € 100.00 (2.450.000.00 STD).

A cartografia preliminar foi enviada, para conhecimento, ao Dr António Abreu, que está a coordenar a elaboração da candidatura da Ilha do Príncipe à rede de Reservas da Biosfera do MAB, e também ao Doutor Klaas-Douwe B. Dijkstra, especialista reconhecido em odonatas africanos.

Reunião com Presidente do Governo Regional do Príncipe

No início da 9ª missão do Programa SADA decorreu uma reunião de trabalho com o Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe Tozé Cassandra. Estiveram também presentes o Secretário Regional Nestor Umbelina, o Diretor do Parque Obô do Príncipe, Daniel Ramos, e o Diretor de Gabinete do Presidente do Governo Regional.

  • a reunião permitiu esclarecer alguns indesejáveis mal-entendidos antigos sobre o relacionamento entre o Programa SADA e as autoridades regionais da Ilha do Príncipe, e clarificar novas normas para um bom entendimento entre as partes;
  • permitiu igualmente abordar questões relacionadas com a aplicação da Legislação Regional de Proteção das Tartarugas Marinhas, com o transporte de amostras biológicas para Portugal e posterior demonstração de resultados científicos, com as iniciativas de sensibilização das populações locais do Príncipe, em particular as das comunidades piscatórias e as mais jovens, e também com a apresentação da aplicação de verbas conseguidas pela Universidade do Algarve, para o Programa SADA, ao Governo Regional do Príncipe.

Ilha de São Tomé – reunião com Dr Victor Bonfim

No dia 18 de Agosto, durante a escala entre a Ilha do Príncipe e Portugal, foi possível uma reunião de trabalho com o Dr Victor Bonfim, da Direção Geral do Ambiente de São Tomé e Príncipe. Nessa oportunidade abordaram-se três assuntos:

  • a forma de cumprir todos os procedimentos internacionalmente estabelecidos, no quadro da Convenção CITES, para o transporte de amostras biológicas extraidas em tartarugas marinhas, de São Tomé e Príncipe para Portugal; assim, pela primeira vez um lote de 56 amostras (17 respeitantes a esta missão e as restantes à 8ª missão) viajou para a Universidade do Algarve acompanhado, simultaneamente, de uma Declaração de Conhecimento e Autorização emitida pelo Governo Regional do Príncipe e outra emitida pelo Governo de São Tomé e Príncipe;
  • a colaboração do Coordenador do Programa SADA numa futura candidatura a ser submetida a financiamento pela iniciativa comunitária ECOFAC V, tendo como alvo a Ilha do Príncipe e, principalmente, o seu Parque Natural;
  • por fim, a reunião serviu ainda para reportar ao Dr Victor Bonfim as preocupações relacionadas com as aves marinhas das Pedras Tinhosas, que estão a ser alvo de predação humana cada vez mais intensa e frequente.
Anúncios

Trithemis nigra, a libélula endémica da Ilha do Príncipe

02/06/2011

Veja as imagens no ARKive:

http://www.arkive.org/trithemis/trithemis-nigra/

Leia a informação na Red List da IUCN 2011:

http://www.iucnredlist.org/apps/redlist/details/22208/0


Programa SADA – Missão 8

14/05/2011

A Missão nº 8 do Programa SADA decorreu de 21 de Abril a 6 de Maio de 2011 e foi, uma vez mais, concretizada pelo Coordenador do Programa, Nuno de Santos Loureiro, PhD, docente e investigador da Universidade do Algarve.

A estadia na Ilha do Príncipe decorreu entre 22 de Abril e 4 de Maio. Foram executadas as seguintes atividades:

I. TARTARUGAS MARINHAS

I.1. Foram amostrados os seguintes números de animais:
SADA (Eretmochelys imbricata)
– 13 exemplares (2 machos adultos, 1 fêmea adulta, 10 juvenis)
MÃO-BRANCA (Chelonia mydas)
– 7 exemplares (3 aparentemente saudáveis e 4 afetados por fibropapilomatose)

Nas amostragens estiveram envolvidos os seguintes mergulhadores:
Dionísio Calipe, Helder Vaz Pereira (Dedé), Inocêncio dos Prazeres (Nuno Couto), José Manuel Rocha Lopes (Nelo), Manuel da Graça (Lindo) e Pedro de Oliveira Sousa (Duko)

Procedimentos gerais:
– os mergulhadores agarraram os exemplares no mar, à mão, e trouxeram-nos para as praias mais próximas
– eu desloquei-me a essas praias para todos os procedimentos de amostragem e os animais foram seguidamente libertados no mar, nessas mesmas praias; nenhuma tartaruga marinha esteve mais de 4 horas fora de água

Transporte das amostras para Portugal:
– as amostras ficaram armazenadas no Príncipe, ao cuidado do Sr Daniel Ramos, Diretor do Parque Natural Obô do Príncipe, em virtude da impossibilidade de obtenção da autorização legal emitida pelo Governo Regional do Príncipe (licença CITES ou documento substituto) indispensável para as transportar para Portugal

I.2. Centro de Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da ‘PRAIA GRANDE’

– foi verificado o avançado estado das obras de recuperação
– consideraram-se ainda necessárias as seguintes intervenções:

  • nova demão de pintura em toda a construção
  • pintura do teto em lusalite, em cor verde escura
  • finalização do anexo, com pequenos trabalhos de carpintaria e pintura
  • pintura do nome na frente da casa

– consideram-se também convenientes as seguintes intervenções

  • sinalização de trânsito, a partir da cidade e do aeroporto
  • colocação de placa de divulgação no exterior do aeroporto
  • reedição do flyer ‘TURTLE WATCHING NA PRAIA GRANDE, ILHA DO PRÍNCIPE’

– foi solicitada autorização ao Governo Regional para a execução destas novas intervenções

I.3. Nova equipa de Vigilantes

No quadro da colaboração com a HBD foram selecionados seis novos vigilantes para as praias Uva, Grande, Boi e Macaco; na totalidade, ficam assim oito guardas nssas quatro praias, uma vez que o Hualton Carvalho e o Domingos Quaresma continuam em funções.

I.4. Mergulhadores Vigilantes e Educadores Ambientais

No quadro da colaboração com a HBD foram selecionados três mergulhadores que regularmente colaboram com o Programa SADA: Inocêncio dos Prazeres (Nuno Couto), Manuel da Graça (Lindo) e Pedro de Oliveira Sousa (Duko), para desempenharem funções de vigilância e sensibilização ambiental, tendo em vista reduzir a mortalidade das tartarugas marinhas, que se concluiu estarem a ser capturadas em números preocupantes, por mergulhadores submarinos e pescadores locais.

Foi solicitado ao Governo Regional um empenhamento acrescido nas operações de vigilância e fiscalização.

I.5. Compilação dos dados relativos a FÊMEAS REPRODUTORAS E POSTURAS na PRAIA GRANDE – época de posturas 2010-2011

Foram introduzidos na base de dados do Programa SADA todos os dados recolhidos na Praia Grande, durante a época de posturas 2010-2011. Este procedimento implicou a digitalização de toda a informação, a partir dos cadernos de campo, a deteção de alguns erros, e a sua interpretação preliminar.

I.6. Preparação da brochura TARTARUGAS MARINHAS NA ILHA DO PRÍNCIPE

II. ODONATAS (localmente, aviões-de-água)

II.1. Prospeção Preliminar

Ceriagrion glabrum

Orthetrum africanum

Os Insetos da Ordem Odonata, em português designados de libélulas e libelinhas, e localmente chamados de aviões-de-água, são um grupo que tem sido pouco estudado na Ilha do Príncipe. No entanto, está referida uma espécie endémica na Ilha, classificada como Critically Endangered na IUCN Red List, a Trithemis nigra. A espécie foi descoberta e descrita em 1936, e desde então, por ausência de monitorização, não foi estudada em detalhe, nem acompanhada a evolução da sua população.

Palpopleura lucia

Orthetrum stemmale

Na sequência de contactos com o Doutor ‘KD’ Dijkstra, do Netherlands Centre for Biodiversity, especialista reconhecido em Odonata africanos, foi feita uma prospeção preliminar. Foi, para a mesma, solicitada a colaboração do Lucindo Pontes, principiano e profundo conhecedor das borboletas da Ilha do Príncipe.

Assim, foi feita uma recolha fotográfica detalhada de Odonatas em 20 pontos distintos de amostragem da Ilha do Príncipe, e as fotografias foram apresentadas ao especialista referido, para confirmação das identificações.

A procurada Trithemis nigra está entre as espécies fotografadas e, assim, foi possível confirmar que continua presente!

As outras espécies fotografadas foram:

  • Orthetrum africanum
  • Pantala flavescens



De 4 a 6 de Maio decorreu uma estadia muito breve pela Ilha de SÃO TOMÉ. Foram executadas as seguintes atividades:

  • Reunião com o Dr Victor Bonfim, Diretor para a Conservação da Natureza, Qualidade do Ambiente e Saneamento – Direção-Geral do Ambiente. O encontro permitiu uma troca de impressões sobre a futura legislação nacional de proteção de tartarugas marinhas na República Democrática de São Tomé e Príncipe, e também a apresentação de um ponto de situação sobre o Programa SADA.
  • Conversa informal com o responsável do Centro Turístico Comunitário de Pesca Artesanal VOADOR PANHÁ, em São João de Angolares, e também com João Carlos Silva, da Roça São João.
  • Visita ao futuro stand da Ilha do Príncipe e a toda a CACAU – Casa das Artes, Criação, Ambiente e Utopias, na cidade de São Tomé.