São Tomé

ESPÉCIES QUE FAZEM POSTURAS NAS PRAIAS DE SÃO TOMÉ

… e antes de chegar a ele está um monte alto em que bate o mar, chamado a Ponta do – Ilheu Grande – posto que aqui não haja um verdadeiro ilheu: logo fica uma pequena praia aonde sobem imensas tartarugas e lhe chamam – Praia do Ilheu Grande – ou do Mato Sete e tem uma ribeira de boa agua…

Matos R. J. C. (1916) Ilhas de S. Tomé e Príncipe, Ano Bom e Fernando Pó. Corografia Histórica. 4ª edição. Imprensa Nacional. S. Tomé.

Tartaruga:
Animal marítimo alimentício, serve para o tratamento de ferida crónica, e estimulante sexual para os homens.

Valentim A. (2004) Mindjam Téla. Estudo de curas, com bases tradicionais em S. Tomé. Edição de autor. Lisboa.

A ilha de São Tomé acolhe quatro espécies reprodutoras de tartarugas marinhas, facto que faz dela um hotspot único de biodiversidade em toda a costa ocidental de África.

Chelonia mydas, Linnaeus 1758 (nome local: mão branca)

A mão branca é a espécie de tartarugas marinhas mais comum em São Tomé e Príncipe. Na ilha de São Tomé deverão existir 200 a 220 fêmeas reprodutoras, que dão preferência às praias do centro-este e do sul da ilha para fazer as suas posturas. Relativamente próximo, na ilha de Bioko (Guiné Equatorial), existe também uma numerosa rookery de C. mydas, que poderá contar cerca de 1.000 fêmeas reprodutoras.

Lepidochelys olivacea, Eschscholtz 1829 (nome local: tàtô)

lo-stp-wwfstampA tàtô faz posturas na ilha de São Tomé, mas não na do Príncipe.

É a segunda espécie mais comum em STP mas, ao contrário da mão branca, a ilha de São Tomé parece ser o principal hotspot da região.
Actualmente admite-se que exista uma população que já não chega a atingir as 200 fêmeas adultas, e que tem decrescido muito nas últimas décadas. Os adultos são relativamente pequenos, com um CCL (comprimento curvo de carapaça) médio de cerca de 71 cm. Por isso, são fáceis de apanhar e transportar…

As praias escolhidas são as do norte da ilha, próximas de aldeias piscatórias densamente habitadas, a poucos quilómetros da capital do país, e com grandes tradições de captura e consumo de carne de tartaruga. Por isso, o futuro da tàtô em São Tomé e Príncipe é uma incógnita…

Ao contrário das outras espécies de tartarugas marinhas, que fazem ciclos de posturas de 2 em 2 ou 3 em 3 anos, 60% das fêmeas reprodutoras de tàtô têm ciclos anuais de posturas, e em cada ciclo fazem 2 ou 3 posturas. Em média depositam 110 ovos por postura. Em São Tomé as posturas de tàtô são solitárias, ou seja, cada fêmea reprodutora sai isolada à praia; noutras regiões a L. olivacea faz posturas em grupo e em simultâneo, processo geralmente designado de arribada.

Conheça o mais recente IUCN Red List Status Assessment, elaborado pelo Marine Turtle Specialist Group, sobre a L. olivacea, datado de Maio de 2007.

Eretmochelys imbricata, Linnaeus 1766 (nome local: sada ou tartaruga-de-caco)

Segundo o SWOT Report III, na época de posturas de 2005-06 foram registadas 38 posturas de E. imbricata, principalmente localizadas nas praias da zona centro-este e sul da ilha. A época de posturas estende-se de Outubro a Abril, sendo Dezembro e Janeiro os dois meses principais.

A sada, enquanto população reprodutora, em toda a costa ocidental de África apenas já só ocorre em São Tomé e Príncipe. Está técnica ou absolutamente extirpada em todas as outras regiões onde tradicionalmente fazia posturas. Mesmo em Bioko, os últimos números disponíveis são tão diminutos que quase não alimentam qualquer esperança…

Em São Tomé deverão existir entre 25 e 35 fêmeas reprodutoras de sada. Mas, infelizmente, o que mais marca esta população é uma taxa de decréscimo assustadoramente acentuada

dermochelys_st

Dermochelys coriacea, Vandelli 1761 (nome local: ambulância)

É a espécie menos comum e é, também, a de maior porte. Só a carapaça, de comprimento, atinge mais de 1,5 metros!

Em São Tomé e Príncipe devem existir apenas cerca de 30 fêmeas reprodutoras de ambulância. Na ilha de São Tomé dão preferência às praias do sul para fazerem as suas posturas.

Cartografia da Ilha de São Tomé
Escala 1:25.000 – Ano 1958 – Instituto Geográfico do Exército
Folha 1 – Ponta     Figo Folha 2 – Ana Chaves     Folha 3 – São Manuel
Folha 4 – Ribeira Afonso                               Folha 5 – Gago Coutinho

Escala 1:80.000 – Ano 1966 (reimpressão 1993) – Instituto Hidrográfico
Folha 322 – Ilha de São Tomé (com altimetria e batimetria)


esta página conta com o apoio do oceanario

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: