Príncipe

ESPÉCIES QUE FAZEM POSTURAS NAS PRAIAS DO PRÍNCIPE

principe-mapa-antigo

A fauna marítima é riquíssima em variadíssimas espécies, desde as mais conhecidas, como o atum, o salmonete, o cherne, o carapau, até ao tubarão, ao peixe-voador e à tartaruga, muito utilizados pelos naturais da ilha para a sua alimentação.

Costa E. e Correia R. (1996) Ilha do Príncipe. Câmara Municipal de Aveiro.


Chelonia mydas (nome local: mão branca)

chelonia_p

A ilha do Príncipe deverá ter uma população de cerca de 200 a 250 fêmeas adultas reprodutoras que de 3 em 3 anos têm uma época de posturas. São, assim, 80 a 100 fêmeas reprodutoras por ano, e cada uma pode fazer 3 ou 4 posturas durante a época. Em cada postura podem depositar cerca de 110 ovos, que ficam enterrados cerca de dois meses na areia, a incubar. A Praia Grande, a norte da Cidade de Santo António, é uma das preferidas pela mão branca e, por isso, um excelente local para turtle watching.  As posturas têm início no mês de Setembro e prolongam-se até ao final de Fevereiro, mas os principais meses são Dezembro e Janeiro.

Simultaneamente, há também uma população numerosa de juvenis neríticos e de sub-adultos. Infelizmente, a incidência de GTFP (green-turtle fibropapillomatosis) começa a ser elevada e atinge exemplares em todos as fases da vida, embora seja particularmente acentuada nas fases juvenil e sub-adulta.

Eretmochelys imbricata (nome local: sada ou tartaruga-de-caco)

A ilha do Príncipe deverá ter, apenas, uma população de cerca de 50 a 60 fêmeas reprodutoras. Consequentemente, não serão mais de 25 a 30 por ano! Cada uma pode fazer 2 ou 3 posturas durante a época, depositando cerca de 130 ovos por postura.

Segundo o SWOT Report III, na época de posturas de 2005-06, foram registadas 36 posturas de E. imbricata, principalmente localizadas nas Praias Margarida, Sundi, Mocotó, Ribeira Izé, Bom-Bom, Stª Rita e Seabra. A época de posturas estende-se de Novembro a Março, sendo Dezembro e Janeiro os dois meses principais.

Para além desta sub-população de fêmeas adultas, que deverá estar nas águas e praias do Príncipe apenas nos meses de acasalamento (Setembro e Outubro) e posturas (Novembro a Fevereiro), existe uma sub-população de machos adultos, que poderá ser residente, e uma outra sub-população mais numerosa, de juvenis neríticos, também residente. Destes últimos podem ser observados, muito próximo à linha de costa e em águas muito pouco profundas, exemplares cujo comprimento da carapaça (CCLmin) pode ser tão pequeno quanto 25.0 cm.

Dermochelys coriacea (nome local: ambulância)

A população reprodutora que usa as praias da ilha do Príncipe é muito diminuta e inconstante. Esta espécie de tartarugas marinhas é pouco “fiel” às suas praias de origem (pouco filopátrica) e as fêmeas reprodutoras que esporadicamente ocorrem devem, de facto, pertencer às grandes rookeries do Gabão e da ilha de Bioko.

Nas águas costeiras, em particular a sul da ilha, encontram-se juvenis desta espécie. É uma situação de excepção, até agora considerada absolutamente única no Mundo, já que o comportamento característico e conhecido pauta-se pela utilização, em exclusivo, de águas oceânicas abertas.


Algumas praias da Ilha do Príncipe com posturas de tartarugas marinhas…
mapa_príncipe_c_unid_gest
unidades de gestão, representação cartográfica e de análise

  1. Praia Grande
  2. Praia Boi
  3. Praia das Burras
  4. Praia Bom-Bom
  5. Praia Sundi
  6. Praia do Iola
  7. Praia da Lapa
  8. Praia de São Tomé
  9. Praia Grande do Infante
  10. Praia Piriquito


Cartografia da Ilha do Príncipe
Escala 1:25.000 – Ano 1962 – Instituto Geográfico do Exército
Folha 1 – Santo António (Norte)       Folha 2 – Pico Negro (Sul)

Escala 1:80.000 – Ano 1966 (2ª edição 1995) – Instituto Hidrográfico
Folha 323 – Ilha do Príncipe (com altimetria e batimetria)


esta página conta com o apoio do oceanario

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: