Programa SADA – missão 9

A 9ª missão do Programa SADA decorreu de 5 a 18 de Agosto e foi, uma vez mais, levada a cabo pelo coordenador do Programa SADA, Nuno de Santos Loureiro, docente e investigador da Universidade do Algarve.

A missão teve cinco objetivos-chave:

  1. dar continuidade às atividades com os mergulhadores locais, por forma a assegurar a manutenção dos bons níveis de motivação indispensáveis para a continuada não captura e morte de tartarugas marinhas e, simultaneamente, para dar continuidade às campanhas regulares de amostragem em tartarugas SADA (Eretmochelys imbricata), necessárias ao aprofundamento dos estudos em curso sobre a estrutura genética dessa população criticamente ameaçada de extinção;
  2. coordenar e acompanhar a finalização das obras no Centro para o Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da Praia Grande – casa Zeferino Rodrigues e, em particular, a reestruturação do anexo, a repintura da casa, a pintura do anexo, a pintura e decoração dos telhados, e a limpeza geral do local;
  3. conceber in loco novos materiais para a sensibilização e divulgação do fundamental valor de biodiversidade local e global representado pelas tartarugas marinhas na Ilha do Príncipe
  4. preparar com os guardas locais a nova época de vigilância e monitorização das praias com posturas de tartarugas marinhas;
  5. fazer um trabalho de campo intensivo, por forma a preparar uma cartografia preliminar da ocorrência do avião-de-água da espécie Trithemis nigra (Odonata: Libellulidae), endémico da Ilha do Príncipe e classificado como criticamente ameaçado de extinção na IUCN Red List.

Objetivo UM

  • manteve-se um diálogo intenso e diário com mergulhadores da Ilha, e em particular com os três (Duko, Lindo e Nuno Couto) que têm um estatuto permanente de vigilantes, atribuído e remunerado no quadro de um protocolo entre a empresa HBD e o Governo Regional do Príncipe;
  • debateu-se com outros dois mergulhadores (Lino e Dedé) incidentes recentes de captura e morte de tartarugas marinhas, e procuraram-se novos equilíbrios e engajamentos para assegurar que não surjam mais incidentes similares; ambos se comprometeram a não mais capturarem e matarem tartarugas marinhas e a participarem, muito ativamente, na proteção da vida das tartarugas SADA e de todas as outras espécies;
  • levou-se a cabo a campanha de amostragem em tartarugas SADA; foram agarrados, manuseados e libertados 22 exemplares, sendo 20 jovens neríticos e 2 machos adultos; dos 20 jovens 15 foram amostrados pela primeira vez e 5 tinham-no sido já em campanhas anteriores; as recapturas permitem observar os índices de crescimento dos exemplares; os 2 machos adultos foram amostrados pela primeira vez; participaram na campanha de amostragem onze mergulhadores locais (Duko, Nuno Couto, Lindo, Nelo, João Paulo, Gabriel, Tone, Lino, Quebrado e Santinho) que, no total, receberam € 440.00 (€ 20.00 / tartaruga amostrada);
  • fez-se um esforço no sentido de levar igualmente a cabo uma campanha de amostragem em tartarugas mão-branca (Chelonia mydas) afetadas por fibropapilomatose (MTFP); no entanto, não foi agarrado nenhum exemplar;
  • em paralelo com os prémios de participação direta na campanha de amostragem, como vem sendo feito em todas as missões do Programa SADA foram oferecidos alguns equipamentos de pesca submarina; nesta campanha três mergulhadores (Duko, João Paulo e Santinho) receberam um par de barbatanas e cinco mergulhadores (Nuno Couto, Nelo, Lindo, Mingo e Cuco) receberam um par de elásticos para armas de pesca submarina; o montante total destes materiais corresponde a € 225.00. Consequentemente, o montante direto total envolvido no apoio aos mergulhadores foi, nesta campanha, de € 665.00 (16.292.500.00 STD).

Objetivo DOIS

  • ficaram praticamente finalizadas as obras de recuperação e melhoramento do Centro para o Acolhimento de Visitantes e de Turtle Watching da Praia Grande – casa Zeferino Rodrigues; durante a missão executaram-se as seguintes atividades: reestruturação e pintura do anexo, repintura da casa, pintura e decoração dos telhados, e limpeza geral do local; assim, o anexo foi reduzido, por forma a ficar mais equilibrado e harmonioso com a casa, a casa foi totalmente repintada, os telhados foram pintados de verde e todo o espaço envolvente à casa foi limpo e arrumado; um artista local vai pintar a branco uma grande tartaruga marinha no telhado da casa, por forma a ser facilmente visivel de avião, e no telhado do anexo as palavras turtle watching; procurar-se-á, desta forma, divulgar e incentivar o ecoturismo na Praia Grande, tornando a casa facilmente identificável a partir do avião que transporta os visitantes para a Ilha do Príncipe. O montante direto total envolvido na recuperação e melhoramentos acima descritos foi, nesta campanha, de € 290.00 (7.105.000.00 STD).

Objetivo TRÊS

  • ficou estabelecida, e acordada com o Governo Regional do Príncipe, a produção de dois grandes painéis subordinados ao tema – PRÍNCIPE, ILHA AMIGA DAS TARTARUGAS MARINHAS – para colocação em espaço públicos de grande visibilidade; um ficará em frente ao Aeroporto e outro è entrada na Cidade de Santo António;
  • ficou também estabelecida a edição de um folheto (flyer) de promoção do turtle watching na Praia Grande – OBSERVAÇÃO DE TARTARUGAS MARINHAS NA PRAIA GRANDE – ILHA DO PRÍNCIPE – que terá uma versão em português e outra em inglês.

Objetivo QUATRO

  • com a criação, por parte da HBD (investidor no setor do turismo), de um corpo de oito vigilantes para as Praias Grande, da Uba, Boi e Macaco, a situação relacionada com a vigilância na Praia Grande, aquela onde o número de posturas de tartarugas marinhas é o maior em toda a Ilha do Príncipe, passou a ter um novo enquadramento;
  • o Hualton Carvalho e o Domingos Gil Quaresma, que prestaram serviços remunerados ao Programa SADA nas épocas de posturas de tartarugas marinhas anteriores, foram incluídos no referido corpo de vigilantes;
  • procurou-se, consequentemente, uma nova base de entendimento com os vigilantes Hualton Carvalho e DoMingos Quaresma, para que se mantivessem ou até melhorassem as rotinas de monitorização da Praia Grande, com vista à consolidação dos trabalhos científicos em curso;
  • infelizmente, até ao final da missão foi impossível alcançar a desejada plataforma de entendimento, em virtude de divergências de cariz remuneratório.

Objetivo CINCO

Com o auxílio valioso do lepidopterólogo local Lucindo Pontes, do Terreiro Velho, levaram-se a cabo oito manhãs de prospeção da ocorrência do avião-de-água Trithemis nigra, endémico da Ilha do Príncipe. Foram visitados 14 locais distribuídos pela metade Norte da Ilha, onde o acesso é mais fácil, e em 5 foi constatada a ocorrência da espécie. Os diversos locais foram georeferenciados e toda a informação transposta para um mapa, que se apresenta aqui. No mesmo mapa foi também considerada a observação feita na 8ª missão e, ainda, a observação histórica de W. H. T. Tams, em Janeiro de 1933, e que serviu de base para a descrição da espécie, feita em 1933 por C. Longfield. O montante direto envolvido nesta tarefa foi, nesta campanha, de € 100.00 (2.450.000.00 STD).

A cartografia preliminar foi enviada, para conhecimento, ao Dr António Abreu, que está a coordenar a elaboração da candidatura da Ilha do Príncipe à rede de Reservas da Biosfera do MAB, e também ao Doutor Klaas-Douwe B. Dijkstra, especialista reconhecido em odonatas africanos.

Reunião com Presidente do Governo Regional do Príncipe

No início da 9ª missão do Programa SADA decorreu uma reunião de trabalho com o Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe Tozé Cassandra. Estiveram também presentes o Secretário Regional Nestor Umbelina, o Diretor do Parque Obô do Príncipe, Daniel Ramos, e o Diretor de Gabinete do Presidente do Governo Regional.

  • a reunião permitiu esclarecer alguns indesejáveis mal-entendidos antigos sobre o relacionamento entre o Programa SADA e as autoridades regionais da Ilha do Príncipe, e clarificar novas normas para um bom entendimento entre as partes;
  • permitiu igualmente abordar questões relacionadas com a aplicação da Legislação Regional de Proteção das Tartarugas Marinhas, com o transporte de amostras biológicas para Portugal e posterior demonstração de resultados científicos, com as iniciativas de sensibilização das populações locais do Príncipe, em particular as das comunidades piscatórias e as mais jovens, e também com a apresentação da aplicação de verbas conseguidas pela Universidade do Algarve, para o Programa SADA, ao Governo Regional do Príncipe.

Ilha de São Tomé – reunião com Dr Victor Bonfim

No dia 18 de Agosto, durante a escala entre a Ilha do Príncipe e Portugal, foi possível uma reunião de trabalho com o Dr Victor Bonfim, da Direção Geral do Ambiente de São Tomé e Príncipe. Nessa oportunidade abordaram-se três assuntos:

  • a forma de cumprir todos os procedimentos internacionalmente estabelecidos, no quadro da Convenção CITES, para o transporte de amostras biológicas extraidas em tartarugas marinhas, de São Tomé e Príncipe para Portugal; assim, pela primeira vez um lote de 56 amostras (17 respeitantes a esta missão e as restantes à 8ª missão) viajou para a Universidade do Algarve acompanhado, simultaneamente, de uma Declaração de Conhecimento e Autorização emitida pelo Governo Regional do Príncipe e outra emitida pelo Governo de São Tomé e Príncipe;
  • a colaboração do Coordenador do Programa SADA numa futura candidatura a ser submetida a financiamento pela iniciativa comunitária ECOFAC V, tendo como alvo a Ilha do Príncipe e, principalmente, o seu Parque Natural;
  • por fim, a reunião serviu ainda para reportar ao Dr Victor Bonfim as preocupações relacionadas com as aves marinhas das Pedras Tinhosas, que estão a ser alvo de predação humana cada vez mais intensa e frequente.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: