Ilha do Príncipe no SWoT Report VI

O SWoT – State of the World’s Sea Turtles Report é uma publicação anual de síntese, apresentando o estado do conhecimento sobre as tartarugas marinhas. O periódico é editado nos E.U.A. e o corpo editorial reúne alguns dos mais conceituados especialistas mundiais em tartarugas marinhas. Embora não se possa considerar uma revista científica, cada edição anual é um marco incontornável na divulgação de informação rigorosa sobre estes animais ameaçados de extinção.

Recentemente foi publicado o SWoT Report VI, apresentado no 31º Annual Symposium on Sea Turtle Biology & Conservation.

Em cada edição é prestada especial atenção a uma das sete espécies de tartarugas marinhas. Entre outras informações, é publicado um mapa-mundo com a distribuição dos mais relevantes locais de postura. É também apresentado o state-of-the-art sobre a estrutura genética das diversas populações da espécie de tartarugas marinhas em análise.

O SWoT Report III foi dedicado à tartaruga SADA (Eretmochelys imbricata). Nessa oportunidade, publicaram-se algumas notas relativas às posturas nas praias das ilhas de São Tomé e do Príncipe. Sobre a estrutura genética da espécie reconhecia-se, num texto assinado por Alberto Abreu e Robin LeRoux, a existência de pelo menos um stock na costa atlântica de África, centrado na Ilha de Bioko e nas de São Tomé e Príncipe.

SWoT Report V foi dedicado à tartaruga TÀTÔ (Lepidochelys olivacea), espécie que faz posturas na Ilha de São Tomé, mas não no Príncipe. Surgiu uma referência muito breve no mapa-mundo de distribuição dos locais de postura…

SWoT Report VI é agora dedicado à tartaruga verde ou MÃO-BRANCA (Chelonia mydas). A Ilha do Príncipe volta a ser referida como um local de importância regional para as tartarugas marinhas, e esse reconhecimento é agora um fruto dos esforços que têm vindo a ser desenvolvidos pelo Programa SADA, o qual já integra o SWoT Team! A existência de um stock genético nas Ilhas de São Tomé e Príncipe é, igualmente, referido.

E a responsabilidade de São Tomé e Príncipe para o futuro das tartarugas marinhas, em particular no limite este do Oceano Atlântico, fica uma vez mais em destaque!

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: