tartaruga já fez seis posturas…

Uma tartaruga-verde (C. mydas), localmente chamada de mão-branca, já fez nesta época seis posturas na Praia Grande, Ilha do Príncipe. O intervalo médio entre cada uma dessas posturas foi de 14.8 noites.

Esta fêmea reprodutora começou a ser acompanhada este ano, no âmbito do Programa SADA. A sua observação tem sido feita pelos dois vigilantes da Praia Grande, HualtonZeferino, e a inequívoca identificação só é possível porque o animal está marcado com um flipper tag e um PIT tag.

Seis posturas numa época é um número muito considerável. Na Praia Grande, durante a época de posturas 2007-08, segundo dados não publicados recolhidos pela ONG MARAPA e analisados pelo Programa SADA, observou-se uma média de 3.13 posturas ao longo de todo o período, com um intervalo médio entre posturas de 13.8 noites. Para diversas populações de C. mydas, em diversos locais do mundo, Miller (1997), por exemplo, refere um valor médio de 2.93 posturas por época, com um intervalo médio de 12 noites.

4 respostas a tartaruga já fez seis posturas…

  1. O vitrina está a divulgar a iniciativa-
    Petter Bouças Editor do jornal http://www.VITRINA.ST /
    Telm: + 351 964675592 Coimbra
    Contacto S.Tomé: + 239 903330 Manuel Barros

  2. aurora d`alva diz:

    toda conservacao tem que ter em conta a vida das populacaos indiginas, sem imposicoes do exteriores o modo vivendi desta populacoes que sempre viveram em sibiose harmonica com essas especieis. por exemplo o os inuitas e os povos do alaska tem a sua proteinas nas baleias, eles só tiram o necessário para a sua alimentacao, devido uma agriculttura e pesca primitiva S.Tomé e precisa encontrar também na tartaruga uma fonte de proteina para a sua dieta alimentar, tem que se encontrar este equilibrio sem demonizar o povo da ilha.

    • É uma verdade global que o sucesso do programas de conservação da biodiversidade depende, entre outros factores, do sucesso no diálogo com as populações locais. O Programa SADA, na Ilha do Príncipe, é exemplo disso.
      As populações da Ilha não querem continuar a ser indígenas. Querem melhorar a sua qualidade de vida, com qualquer cidadão do Mundo. Querem ter hospital e escola, ter televisão, telemóvel, motorizada, casa melhor e frigorífico, e ter algum dinheiro. Os pescadores e mergulhadores submarinos do Príncipe querem ter as suas canoas e os seus praus a motor, melhores equipamentos para a pesca, mais segurança no seu trabalho. Os mergulhadores querem ter boas barbatanas, fatos, máscaras e armas de pesca submarina…
      Nenhum deles, e eu conheço pessoalmente muitos, quer continuar a ser primitivo! Com os novos materiais de trabalho, com a maior esperança de vida e a menor mortalidade infantil, a população do Príncipe vai aumentando. Por isso, as relações entre as pessoas e a biodiversidade são hoje muito diferentes, quando comparadas com as de há 100 ou 200 anos atrás. Consequentemente, as regras do equilíbrio são também diferentes!
      O Programa SADA é uma parte desse novo equilíbrio. As tartarugas marinhas vivas ajudam a trazer bem estar à Ilha do Príncipe. O Programa SADA é uma pequena ajuda para abrir o Príncipe ao Mundo. Cria empregos, distribui materiais de pesca e de mergulho, criu um pequeno programa de micro-crédito, divulga a biodiversidade da Ilha e chama turistas. Hoje, com apenas um ano de existência, o Programa SADA já colocou no Príncipe, nas mãos dos pescadores submarinos e dos vigilantes das praias, ou seja pessoas comuns e simples, cerca de 10,000 euros!
      Têm morrido muito menos tartarugas, é verdade, mas não consta que ninguém tenha passado fome por causa disso. Pelo contrário, as mais de 750 crianças da Ilha que no Natal de 2009 receberam um brinquedo (uma tartaruga de peluche) ficaram bem contentes. Se não fosse o Programa SADA, não teriam recebido esse presente.
      Tudo isto, afinal, são exemplos do novo equilíbrio entre o Homem e a Biodiversidade, na Ilha do Príncipe!

      Nun Loureiro
      Coordenador do Programa SADA

  3. aurora d`alva diz:

    Exmo. Sr. Nun Loureiro muito obrigado pela sua luta na conservacao, da biodiversidade na ilha do Príncipe,pelos micro-créditos pelos peluches as criancas,todo os equipamentos postos nas maos,destas,pessoas hoje chamadas,comuns e simples claro,com o tempo vamos mudando o termos,Mas o senhor Nun.L.deve concordar comigo,que Portugal podia nesta fase de arranque,criar condicoes reais numa formacao de quadros qualificados,como marinho biológicos, vetrinários, mergulhadores, e agentes,de indústria horteleira e turismo,em conj com o governo. Sao estes pilares que a sociedade precisa nao “os peluches” .Pois porque morrem as tartarugas? O que consta é o PCB, outros quimícos os sacos plásticos,o engarrafamento no transíto marítimo e despejo de toxicos dos grandes super-tanques surfs e as praias supervoadas. etc etc. Sim a conservacao da nossa tartaruga emblemática da bio. da Ilha do P. mas o turismo é uma o arma de dois gumes pelas consequencias nefasta ao meio ambiente com o cancro da rede maquiávelica da pedofília,exemplos: kénia tailandia etc etc. um turismo ditado com interesses das multinacionais que ditam a essas “gentes simples”” e comuns” ou quadros nao qualificados tem sido um desastre, que só vem perpetuar a relacao a de colonizador e colonizado, e complexo de superioiridade e c. inferioridade seria melhor formar quadros qualif. e estruturas .Depois claro os pais letrados podiam comprar peluches e mais… para os seus filhos.Agora como filha de S.TOMÉ sei que a tartaruga faz parte da fonte de proteinas da dieta alimentar,Pois o gado bovino,lanigero, suino,nao é comum por falta de diversificacao. e vi as pessoas a protestarem com esta proibicao!.. Como os inuitos do alaska…, Se fosses-mos proibir o bacalhau ao portugueses? A problemática Africana é a falta cheque and balance quem controla este projecto para que as criancas de Principe nao venha ser molestada com esta porta que se abriu a um ano…Estará a populacao preparada para o empacto…que estas mudancas positivas,ou negativas…ouve um inquérito as populacoes ou foi um prog. do SADA que impos a sua vontade quem recebeu suborno…etc Qual é a outras fontes de proteinas deste povo que ainda vive de pesca artesenal….fez-se uma investigacao séria a vida destes humildes!..obrigado

%d bloggers like this: